Olá, seja bem vindo, faça seu login, ou Cadastre-se

fechar

A Primeira Pedra

A Primeira Pedra

Ficha técnica

  • Autor(es): Charamsa, Krysztof
  • Dimensões: 14cm x 21cm
  • Edição: 1ª edição
  • Editora: SEOMAN
  • ISBN: 9788555030475
  • Número de páginas: 288
  • Ano de publicação: 2017
  • Encadernação: Brochura
Autor(es):
Charamsa, Krysztof
Editora:
SEOMAN
Páginas:
288

SINOPSE

O padre polonês Krzysztof Charamsa, 44 anos, atualmente ativista dos direitos LGBT em Barcelona, ocupou os níveis mais altos da Igreja Católica. Revelar sua homossexualidade em outubro de 2015 foi apenas uma nova e difícil etapa em sua vida. A partir daí, Charamsa passou por muitas provações por assumir-se gay no seio de uma das instituições mais conservadoras do mundo. Nesse livro, ele revela como os homossexuais são discriminados, reduzidos à condição de pervertidos, enquanto o clero católico, fortemente homofóbico, é ele próprio composto em grande parte por homossexuais. Esses homens acabam arando um terreno fértil onde germina a erva daninha vergonhosa da pedofilia e outros tipos de abusos. Escrita de forma clara, direta e emocionada, a obra promete estremecer os alicerces éticos de uma das instituições mais poderosas do mundo.

Sobre o autor(a)

Krzysztof Charamsa, nascido em Gdynia (Polônia) em 1972, estudou filosofia, teologia e bioética em seu país natal, e também na Suíça e na Itália, empreendendo depois uma promissora carreira nos níveis mais altos da Igreja Católica, como funcionário da Congregação para a Doutrina da Fé, um dos órgãos da Santa Sé. Foi segundo-secretário da comissão teológica internacional, que reúne os mais conceituados teólogos da Igreja. Autor de diversos livros e artigos, ensinou Teologia na Pontifícia Universidade Gregoriana e no Pontifício Ateneu Regina Apostolorum de Roma. Tudo isso até 3 de outubro de 2015, dia em que revelou sua homossexualidade, quando foi oficialmente destituído de suas funções. Hoje, vive feliz com seu companheiro Eduard Planas e se dedica à defesa dos direitos humanos das mulheres e pessoas LGBT.